terça-feira, 29 de novembro de 2016

Arnaldo Antunes


Caros leitores do Vitrola,
Acredito que essa música já fala por sí própria.

Quer ler mais?

Aqui está o site do Arnaldo Antunes e lá tem um texto bem melhor que o meu...."ACREDITEM!",rsrsrsrsrsrrsrsrsrsrsr.

Então veja:

Site Arnaldo Antunes




quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Que tal uma "revolução" que interesse a maioria das pessoas?


Que tal uma "revolução" que interesse a maioria das pessoas?

Revolução só se faz na insatisfação, com barriga vazia, com guerra declarada, na miséria humana. Hoje os operários não são mais mão de obra para a revolução, estão assistindo o seu futebol na sua tv de plasma de Trocentas polegadas e tomando sua cervejinha de boa.

Então vamos parar com essa putaria de uma vez por todas caralho. Quer mão de obra pra sua revolução sem sentido prático e de um romantismo piegas e inocente de dar dó? Vai até a prisão e diga aos presos que eles estão lá pois a eleíte branca foi quem os colocou atrás das grades, quem sabe esses bandidos sirvam de "companheiros" para essa revolução que ninguém se interessa mais, nem mesmo os operários e metalúrgicos, essa é a real.

 Está mais que na hora dos "revolucionários" procurarem uma saida que realmente mude as coisas pautando-se na realidade, e não num movimento que só existe nos livros e que já não cabe na cabeça da maioria das pessoas. única coisa se consegue com esse tipo de reunião de jovem abobados é queimar ainda mais o filme do pessoal que já tá com o mesmo torrado.

video


Com a música a reflexão é a mesma. Nas décadas de 50, 60 e 70 os movimentos revolucionários musicais eram reflexo de uma sociedade em crise onde direitos humanos eram ignorados, a desigualdade racial e social eram visíveis e a guerra do Vietnã era combatida pelos Hippies e a contra-cultura que exercia seu papel com atributos artísticos onde refletiam a realidade da sociedade daquela época com suas insatisfações, e foram exatamente essas insatisfações que criaram os maiores movimentos culturais da história da humanidade.

 E por isso pergunto a vocês: Qual o último movimento musical realmente importante depois do Grunge dos anos 90?

 _NENHUM!!!

 Isso porque a sociedade ocidental encontra-se em sua maioria em uma de suas maiores "zonas de conforto' já vividas pela raça humana, com alimento em abundancia, guardadas é claro as devidas proporções. Hoje as insatisfações não são mais as mesmas, não são mais as maiorias das barrigas que gritão de fome, não existem mais os escravos que plantavam algodão no Mississipi onde criaram o Blues que traduziam seus lamentos de dor em canções. Hoje a dor da nova geração e a dor da alma, a dor da fragilidade emocional. Tá aí o EmoCore que não me deixa mentir.

 Para resumir o papo: Sem insatisfação não há revolução, sem fome não tem treta nem porrada, sem operário inglês dos anos 70 a moda do The Clash não tem socialismo...É só entender isso e tudo se esclarece.


Pra pensar, não pra achar que estar certo:

Chuck Berry 90 anos e disco de inéditas depois de 39 anos.


Resultado de imagem para chuck berry 2014

O senhor Charles Edward Anderson Berry, popularmente conhecido como Chuck Berry surpreendeu o mundo ao anunciar um novo álbum no último dia 18 em que completou 90 anos de idade. A celebração do aniversário veio com a notícia de que o novo disco do guitarrista, chamado apenas de Chuck, chegará às lojas em 2017 por meio da gravadora Dualtone Records.

Trata-se do primeiro álbum de Berry desde o lançamento de Rock It, que saiu em 1979. Ou seja, o material inédito criado, gravado e produzido pelo guitarrista, será o primeiro lançado por ele em 39 anos quando estiver disponível nas prateleiras.

Chuck Berry fazendo seu duck-walk
O famosíssimo “duck walk” que usava nos palcos quando ainda tinha físico para imitar o andar de um pato enquanto tocava guitarra 

 Um dos pilares do surgimento do Rock And Roll foi ele quem influenciou os grandes nomes do gênero como Elvis Presley, Beatles, Rolling Stones, Animals e Eric Clapton, entre outros.
O guitarrista dos Stones, Keith Richards, por exemplo, foi fortemente influenciado chegando a admitir ter copiado todos os acordes, além de muitos dos riffs do Pai do Rock and Roll.

Trata-se de um ícone vivo, um modelo de lenda criado por ele mesmo a partir do início dos anos 50 em uma sociedade incrivelmente racista e capitalista, que sempre foi marcada pela prioridade do consumo. Tinha tudo para dar errado, mas deu certo. Berry podia ser tudo, menos idiota.

Para convencer a sociedade branca e ganancioso como ele só, Berry sabia que os brancos lhe dariam o dinheiro caso comprasse a sua idéia de “miscigenação musical” e assim Berry uniu o Blues ao Country e com essa linguagem própria ele conquistou a garotada com canções sensacionais - “Johnny B. Goode”, “Roll Over Beethoven”, “Maybellene”, “Sweet Little Sixteen


           Chuck Berry  - Roll Over Beethoven



               
                Chuck Berry - Johnny B. Goode




Fica aqui a nossa pequena homenagem a mais essa lenda viva que merece todas as homenagens daqueles que gostam de boa música.


sábado, 8 de outubro de 2016

Porcas Borboletas - Um Carinho Com Os Dentes.




Mais um fim de semana chegou e aqui no vitrola vamos mostrar mais uma banda nacional bacana que infelizmente é pouco conhecida do grande público.

Com mais de 15 anos de estrada, a banda mineira Porcas Borboletas já rodou por quase todos os estados do Brasil, além de Londres, Paris e Buenos Aires. Por onde passa, deixa o seu recado: shows empolgantes, com consistência poética, musical e cênica. Arranjos, riffs e refrões marcantes.

Com Arranjos originais intercalados a levadas e refrões marcantes a banda Porcas Borboletas nasceu em Uberlândia em 1999 e mistura Rock com influências individuais de seus integrantes que vão do Soul ao Pop entre outros.
A música que vamos ver agora chama-se "EU" e faz parte do disco Um Carinho Com Os Dentes.

Confira e bom final de semana.


                 Porcas Borboletas - Eu





                  Porcas Borboletas _ A Passeio

 


domingo, 2 de outubro de 2016

Novo disco do Metallica.

Resultado de imagem para "Hardwired… to Self-Destruct".

Prestem atenção nas palhetadas do James Hetfield, que continuam afiadíssimas, ainda mais com sons que lembram muito os primórdios dos caras.
O novo álbum do Metallica deve sair em novembro, denomonado "Hardwired… to Self-Destruct".

Esse vídeo foi extraído do programa americano "Tonight Show" do Jimmy Fallon e dá um gostinho da pedrada que vem pelo caminho com esse novo álbum.

Confira:

                    Metallica: Moth Into Flame