terça-feira, 18 de abril de 2017

Gilberto Gil e toda a sensibilidade da música "Lamento Sertanejo"


Refazenda - 1975
O que podemos falar sobre Gilberto Gil que ainda não foi dito? Acho meio difícil, mas há sempre adjetivos para um dos maiores nomes da música mundial.

Gil além de fazer parte da história da música brasileira com o Tropicalismo também foi um dos responsáveis pela divulgação do Reggae no Brasil e está classificado como um dos grandes gênios da música mundial comparado a estrelas como Bob Marley, John Lennon, Elvis Presley, Janis Joplin, Jimi Hendrix e por aí vai.


O vídeo que vamos ver a seguir é o da música "Lamento Sertanejo" que é a décima canção do disco Refazenda de 1975.Dono de uma interpretação visceral Gilberto Gil de forma tocante consegue imprimir na música toda a angústia do povo sertanejo que fugindo da miséria se viu obrigado a migrar para a cidade grande,acarretando assim um sofrimento ainda mais profundo e angustiante.


Assista ao vídeo e emocione-se com essa obra de arte que é tão linda quanto o sertão! Salve salve o Nordeste, salve salve o Brasil!

              Gilberto Gil - Lamento Sertanejo




terça-feira, 11 de abril de 2017

Jim Morrison e "As Portas da Percepção".




Não deixou uma obra muito extensa porém foi um dos maiores ícones da música de sua geração, além disso dizem que Jim Morrison era tão inteligente, carismático e tão louco que a suas histórias e da sua banda são lembradas até hoje.

Só pra ter uma ideia o nome da banda foi inspirado num livro chamado "As Portas Da Percepção"que falava do poder das plantas psicodélicas para a ampliação da consciência, e que Morrison seguia a risca. Depois de alguns discos gravados, muito sucesso e loucuras, Jim Morrison foi morar em Paris onde morreu aos 27 anos, não se sabe se do coração ou de overdose - e assim ele saia da vida entrana de vez para a história do rock.

                The Doors - L.A Woman




Crianças sobem ao palco e surpreendem geral com cover de Foo Fighters



Um pequeno festival de música na Irlanda que teve um momento Open Mic, que possibilita qualquer um chegar e mostrar seu talento, acabou revelando uma duplinha cheia de estilo.

Um garotinho no violão, chamado Dylan, começou a puxar “Everlong”, do Foo Fighters, e a menininha Lauren soltou a voz, surpreendendo geral. Assista!

Féfé - Rap Francês e Coca-Cola.



Rap francês? Isso existe?
Sim, existe e como a maioria das coisas que vem da França o som tem um gosto sofisticado e de vanguarda.
Pesquisando na Net encontrei esse artista com um som que me chamou a atenção, trata-se do Rapper Féfé .
O cantor de origem Nigeriana é pouco conhecido em terras Tupiniquins mas faz grande sucesso na França e em toda Europa, estrelando inclusive o hino da Coca-Cola na copa do mundo França 2010.
Nesse vídeo vamos assistir ao clip da música VPC,single lançado em 2010.
Confira!

            Féfé - VPC




sexta-feira, 3 de março de 2017

The Cult



























Originalmente nomeada como Southern Death Cult em 1981, a banda liderada por Ian Astbury (14/maio/1962 - Inglaterra) teve vida curta e apenas um álbum lançado. Com a mudança dos integrantes, início da parceria Ian Astbury e Billy Duffy (12/maio/1960 - Inglaterra) e o lançamento de um álbum, a banda tornou-se Death Cult (1983). Logo seria apenas The Cult e lançaria Dreamtime (1984), primeiro trabalho de uma banda muito eclética e pouco convencional. Na época, as revistas americanas classificaram o The Cult como "muito gótico para o público em geral, muito heavy para os góticos e muito progressivo para os punks". O single Spiritwalker logo alcançou os primeiros lugares nas paradas independentes. Com o segundo álbum Love (1985),


The Cult conseguiu projeção mundial, alcançando enorme sucesso com a faixa She Sells Sanctuary.

O terceiro album Electric (1987) marcou uma mudança de estilo, de alternativo/punk/gótico para puro rock’n’roll. Sucesso agora em todos os lugares, shows lotados e com a abertura da banda iniciante Guns'n'Roses, a pressão da fama começou a pesar sob membros da banda, particularmente em Astbury, que começava a apresentar problemas com o abuso de álcool. Além disso, a banda sofria com as sucessivas mudanças dos seus componentes. Sonic Temple (1989), produzido por Bob Rock, foi o maior sucesso comercial do The Cult e um dos albuns mais vendidos dos anos 80. Para promovê-lo a banda entrou em turnê e os problemas de Astbury com o álcool pioravam cada vez mais. As músicas Fire woman, Edie (Ciao Baby) e Sweet Soul Sister são tocadas até hoje nas rádios em todo o mundo.